Quando coloquei as mãos em meu diploma de psicologia, no final do ano de 2003, eu sentia basicamente duas coisas: Alegria e medo.

Um pouco de alegria. Muito medo.

Embora eu houvesse feito um bom curso, numa boa instituição, tirado nota máxima no TCC e até ter tido a honra de ser o orador da turma, a verdade é que eu estava completamente perdido e assustado com o que o futuro profissional me reservava.

Completamente.

As razões para isso eram muitas, e não vou explicá-las em detalhes aqui. Mas vou, nas próximas linhas, te falar sobre três erros bastante comuns cometidos por recém-formados em psicologia e oferecer algumas perspectivas para você conduzir melhor sua carreira.

As dicas são orientadas para recém graduados, mas qualquer psicólogo pode se beneficiar delas, considerando que muitos passam a vida sem atentar para estes erros.

Ao final do artigo, minha ideia é que você possa rever completamente alguns conceitos sobre sua atuação e consiga, imediatamente, colocar as sugestões dadas em prática.

Então vamos lá, considerando que você quer ter uma carreira de sucesso atuando na psicologia como profissional liberal ou empreendedor, a primeira coisa que você não deve fazer imediatamente após se formar em psicologia .

Erro 1 – Entrar de cara em uma pós-graduação sobre psicologia

Imagem2-1024x498

Antes que você dê um grito, eu explico:

Não quero dizer que fazer uma pós-graduação seja algo desnecessário. Ao contrário, em nossa profissão precisamos sempre nos atualizar e estudar muito.

A graduação está longe de cobrir tudo aquilo que precisamos aprender.

No entanto, quando sai da faculdade de psicologia você já é – ohhh – um psicólogo, e supostamente tem condições de oferecer seu serviço.

E o problema está é aí:

Embora tenha condições técnicas de oferecer o serviço, você provavelmente não faz ideia de como atrair as pessoas para usá-lo.

Dito de outra forma, você tem muito conhecimento técnico sobre a psicologia em si, e praticamente nenhum conhecimento sobre como fazê-la funcionar como um negócio. É como ter um carro e não saber dirigir. A teoria existe, você sabe aplicá-la, mas não sabe fazer com que se interessem por ela.

Agora pense comigo: Muita psicologia e pouco conhecimento de mercado. Será que é realmente hora de aprender MAIS psicologia?

O problema em se formar e entrar imediatamente em uma pós-graduação sobre temas relacionados à psicologia, é que você vai se aprofundar ainda mais sob o ponto de vista técnico e continuar não fazendo ideia de como se estabelecer na prática.

Claro que a pós vai te trazer mais conhecimento e um título, mas também vai empatar um tempo e dinheiro que são preciosos em início de carreira. O risco que você corre ao seguir este caminho, é o de ser vítima da mesma situação em que vejo alguns colegas de profissão:

São EXCELENTES psicólogos… sem clientes.

Fale a verdade, quantos pós-graduados, mestres e até doutores você conhece por aí que são super-ultra-mega estudados, e mal tem pacientes em seus consultórios?

Eu conheço vários.

E a razão é simples: Para quem quer atuar como profissional liberal, embora os títulos sejam importantes, eles estão longe de serem determinantes.

Acredite em mim: Seus futuros clientes dificilmente vão te escolher por causa de seus títulos, e a maioria deles está pouco se lixando para sua abordagem ou para aquela especialização bacana. Eles te escolhem, na maioria das vezes, por causa de uma coisa:

Reputação.

E reputação se constrói, primariamente, com estratégia de mercado.

Por exemplo, se ao sair da faculdade você se focar em aprender sobre posicionamento de mercado, sobre como escrever bons artigos e fazer boas palestras, vai atrair MUITO mais pessoas para seu consultório do que conquistando um título de especialista ou mestre.

Sua ciência é a psicologia, mas se quiser atuar como profissional liberal, entenda que você está no negócio de marketing.

Note que você passou 5 anos de sua vida aprendendo a parte técnica de um trabalho, agora o que você precisa é aprender o que deve ser feito para as pessoas virem “comprar” este trabalho de você.

Por isso, minha sugestão prática para quando se formar é: Estude sobre empreendedorismo e marketing para profissionais liberais, entenda sobre a parte “negocial” de seu trabalho e comece a movimentar seu consultório.

Aí sim, parta para uma pós-graduação e comece a pensar em mais conhecimento formal e títulos acadêmicos. Neste início, em vez de pagar uma pós, invista numa boa supervisão enquanto faz seu trabalho de marketing para construir credibilidade.

Aliás, uma opinião sincera: Você vai aprender muito mais atendendo a clientes e tendo uma boa supervisão do que fazendo qualquer pós-graduação que exista neste planeta.

Sei que é tentadora a possibilidade de se tornar um especialista ou mestre, entendo que existe uma leve insegurança técnica assim que nos graduamos, mas se você ficar excessivamente focado em aprender só psicologia, vai acabar se tornando um estudante profissional e ficar sem entender a razão de as pessoas não te procurarem no consultório.

Equilibre conhecimento técnico com estratégia de mercado, só assim você vai conseguir movimentar sua atividade clínica.

E agora vamos para o segundo erro, que eu já vi deixar muitos psicólogos seriamente desiludidos

Erro 2 – Investir pesado num consultório super chique e bacana

CEO-luxury-office-1024x612

Outro dia eu estava conversando com uma cliente de consultoria, graduada há 10 meses, que se encontrava extremamente chateada por não estar obtendo retorno com sua linda e nova clínica.

É a velha história de sempre.

Ela e duas amigas alugaram um espaço com fachada, investiram em pintura, logotipo, móveis chiques, tapete bacana, fizeram folders lindos, distribuíram na região e… nada.

Durante a conversa dava para perceber a angústia no ar.

Foram 4 meses preparando tudo, investindo uma grana, fazendo contrato, escolhendo decoração, aquela empolgação toda… e as pessoas simplesmente não procuravam o serviço. Um ou outro gato pingado entrava para perguntar, e os pouquíssimos pacientes que elas conseguiam era através das indicações individuais de cada uma, o que nada tinha a ver com a nova “clínica”.

Pois então, o que há de errado aí?

Simples, estão tentando vender serviços de psicologia utilizando a mesma lógica usada para se vender viagens turísticas ou comida mexicana. Montaram um local bonito, – e caro – fizeram anúncios no jornal e distribuíram panfletos bacanas.

Não é assim que funciona.

As pessoas não escolhem psicólogos através de panfletos ou fachadas bonitas. Elas escolhem a partir de indicação ou, o que é melhor ainda, quando este psicólogo produz algum conteúdo que vai ao encontro exato da necessidade delas.

É infinitamente mais fácil um cliente te procurar por que assistiu a uma palestra sua ou leu um texto interessante seu na web, do que por causa de um panfleto ou fachada bonita.

Sim, há valor em se ter um lugar elegante, mas em 99% das vezes não é isso que atrai os clientes.

E sobre “ter um consultório prório” acredite, para o cliente é indiferente o fato de o consultório ser seu, meu, ou da prima do irmão da sua sobrinha. Desde que você tenha um lugar decente e apropriado para atender, vão te respeitar.

Não há necessidade – neste primeiro momento – de empatar seu dinheiro em coisas chiques e caras.

E definitivamente não vá gastar com publicidade, cartazes e/ou folders de papel super ultra elegantes.

Em vez disso, gaste seu tempo e seu dinheiro fazendo um website de autoridade e se focando em oferecer conteúdo para seu público alvo.

Subloque um espaço legal, por apenas algumas horas semanais até você começar a ter clientela, e vá aumentando isto gradativamente. Apenas quando você já estiver bem estabelecido e com boa clientela, pense em ter algo seu ou gastar grana com infraestrutura.

No caso específico citado acima, com um terço do que gastaram na “clínica” as três amigas poderiam ter feito um belo website e investido em criar conteúdo – artigos, vídeos, palestras – para oferecer a seu público alvo.

Conforme os clientes fossem aparecendo, atenderiam em espaços sublocados e somente depois de terem ganhado reputação e clientela, investiriam em um espaço mais bacana.

No entanto, preciso reconhecer que há sim, uma exceção a esta lógica:

Se você mora numa cidade pequena do interior, – eu já morei – destas em que as pessoas se acham muito chiques e pensam fazer parte da aristocracia inglesa, um lugar bonito pode fazer bastante diferença.

Mesmo assim, se puder, subloque um espaço legal em vez de empatar dinheiro logo depois de se graduar, e invista em escrever artigos para jornais locais e fazer alianças com os “importantes” da cidade.  Nestes micro ambientes afetados, a melhor forma de ser bem sucedido é entrar para o “High Society” local.

Eu sei, a sociedade pode ser ridículas às vezes e você jamais pensou que tivesse que se sujeitar a isso pra ter clientela.  Mas é o mundo dos negócios.

É claro, você pode deixar isso tudo de lado e se tornar empregado  de alguém. (ou fazer concurso, se quiser). 🙂

E agora vamos para o terceiro – e talvez o mais importante erro – que você deve evitar logo após pegar o canudo se o seu objetivo é realmente ter uma carreira independente.

Erro 3- Focar-se exclusivamente em Psicoterapia

Arrows

Então quer dizer que você quer lotar seu consultório? Bom, muito bom.

Mas só isso?

Tudo o que você consegue enxergar na sua frente é um consultório lotado?

Pense comigo nas seguintes questões:

  • Quantas pessoas no Brasil tem realmente condições financeiras de investir num processo psicoterapêutico?
  • Quantas pessoas do seu nicho devem existir na cidade aonde você mora?
  • Das pessoas que moram na mesma cidade, e tem dinheiro, quantos estão dispostas a iniciar um processo tão íntimo, e geralmente longo, como a psicoterapia?

Tenso, não é mesmo?

Mas então eu estou dizendo que a psicoterapia é algo ultrapassado e ruim?

De forma alguma.

A psicoterapia é a ferramenta mais tradicional com a qual os psicólogos trabalham, e sob diversos pontos de vista é a mais completa.Um processo psicoterápico bem conduzido é algo que pode gerar transformações valiosas na vida das pessoas.

Portanto que isso fique claro: A psicoterapia pode e deve ser valorizada.

No entanto, existem diversas outras opções e formatos para você trabalhar com seu conhecimento como psicólogo. E o mais interessante é que estes outros formatos podem, ironicamente, te trazer vários clientes para a clínica.

A questão é a seguinte: Se você não cria opções, limita muito as possibilidades das pessoas comprarem o seu trabalho.

Isto é o que vários psicólogos fazem.

Eles oferecem atendimento clínico e pronto. Compra quem e quiser e puder, e quem não puder que vá vivendo como for possível.

Isto não é bom para o psicólogo, que vira e mexe fica sem clientes. E acredite, não é bom para a sociedade, que acaba por não ter acesso a tudo o que o psicólogo pode oferecer.

A pergunta chave aqui é:

De que formas você vai embalar seu conhecimento para vender às pessoas?

Na faculdade você provavelmente foi treinado a entregar seu conhecimento somente através do atendimento clínico. Portanto, é isso o que você busca fazer quando distribui seus cartões. E acredite, funciona muito pouco.

Preste atenção:

Para ter sucesso você precisa oferecer às pessoas diversas formas de entrar em contato com o valor que você oferece.

Pense Fora da Caixa. Varie.

Geralmente as pessoas que contratam meus serviços no Psicólogo Empreendedor, têm consigo mesmas que o que elas precisam fazer é movimentar seus consultórios através de mais clientes para a psicoterapia.

No universo destes psicólogos a atividade clínica é o vetor central, a oferta definitiva, e muitos não conseguem sequer imaginar oferecer outros tipos de serviço com seu conhecimento.

Mas vamos ver isto exemplificado que fica mais fácil de entender.

Suponhamos que você é um psicólogo ou psicóloga que trabalha com relações amorosas e que sua especialidade é ajudar casais a terem um relacionamento saudável e harmônico”.

Excelente nicho de mercado.

Agora eu te pergunto: quais são as diversas formas através das quais você pode ajudar casais a terem um relacionamento mais saudável e harmônico?

Veja minhas sugestões:

  • Você pode fazer palestras sobre relacionamento;
  • Você pode ter um workshop para casais que querem melhorar o relacionamento;
  • Você pode ter um curso online sobre relacionamentos;
  • Você pode ter uma oficina vivencial sobre relacionamentos;
  • Você pode escrever um livro sobre relacionamentos amorosos;
  • Você pode – olha ela aí – oferecer terapia para casais que desejem um melhor relacionamento.

Percebe a diferença de perspectiva?

Você está ampliando as formas pelas quais os clientes podem utilizar seu conhecimento, em vez de se focar em um único formato. Muita gente que nem poderia, neste momento, pagar por terapia, vai poder se beneficiar de um pouco do que você tem a oferecer.

E mais, esta pessoa acaba se educando para a importância de cuidar de suas emoções.

Mas não acabou ainda.Quando deixa de ficar bitolado apenas em “psicoterapia”, veja o que acontece:

  • Você passa a ter ofertas de diferentes preços;
  • Você atende a pessoas de diferentes localidades geográficas (dependendo do produto/serviço);
  • Você otimiza seu tempo x receita (um workshop de uma manhã para 25 pessoas pode te render aproximadamente 1500 reais)
  • Você divulga mais seu nome e aumenta o alcance de sua mensagem;
  • Um serviço serve automaticamente de propaganda para os outros;
  • Você demonstra mais expertise e ganha mais respeito do mercado;
  • Você ajuda MUITO mais pessoas com seu trabalho.

É claro, lógico, óbvio que as diferentes formas de serviços terão diferentes impactos na vida dos seus clientes.

Um casal que assista suas palestras sobre relacionamento pode obter algum benefício. Mas claro que se este mesmo casal ler seu livro, vai se aprofundar e obter muito mais benefícios. Se fizerem seu workshop de 2 dias então, mais benefícios ainda. E naturalmente, se eles entrarem num processo psicoterapêutico com você, os benefícios tendem a ser fantásticos.

Moral da história: diversifique.

A psicoterapia é apenas UMA de suas ferramentas. Não fique bitolado nela. E pode ter certeza, a cada palestra e/ou curso ministrado, maiores chances você tem de que te procurem no consultório.

Resumo da Ópera

aida_002

O fim da graduação é um momento tenso e cheio de expectativas em qualquer profissão, mas no caso da psicologia esta situação é mais complexa.

Por termos um curso que ignora completamente os aspectos mercadológicos necessários para o desenvolvimento da profissão, saímos aprendendo a fazer ciência, mas sem qualquer conhecimento prático de mercado.

Um absurdo.

A consequência direta disso é que, quando decidimos atuar como profissionais liberais, fazemos as coisas sem orientação e acabamos empatando tempo e dinheiro em ações que têm muito poucos reflexos nos resultados finais.

Por isso, se você é recém graduado – ou está deixando um emprego – e quer atuar de forma independente, minhas sugestões são:

1-  Não entre de cara em uma pós sobre mais psicologia:

Isso seria indicado se você quisesse fazer carreira acadêmica, ser docente ou pesquisador, mas se o seu negócio é atuar na clínica por conta própria, espere um pouco. Invista primeiro em conhecer os aspectos negociais de seu trabalho, estabeleça-se no mercado, e só depois vá se afundar em mais ciência.

Cuidado para não se tornar um excelente psicólogo sem clientes.

2- Não gaste seu dinheiro montando um lugar super pomposo e chique

Se você for rico, ignore esta sugestão e vá tomar uma Chandon.

Do contrário, invista seu dinheiro e tempo em um site legal e no desenvolvimento de habilidades como escrita, oratória e networking. Subloque um espaço bacana, mas sem alto custo fixo, e vá construindo sua reputação através de artigos, palestras e parcerias.

Somente depois – se quiser e puder- invista em algo mais luxuoso. Não é o luxo que vai fazer você atrair a maioria das pessoas.

3- Diversifique suas ofertas de serviço

Psicologia não é sinônimo de psicoterapia. Mas é isso que nos fazem pensar nas faculdades.

Crie serviços e produtos para quem não quer- ou não pode – pagar pela psicoterapia, e você estará fazendo um favor a si mesmo e a seus futuros clientes.

Cursos, oficinas, workshops, treinamentos, todos estes são formatos interessantes que geram pontos de contato com as pessoas e acabam -pode acreditar – indiretamente trazendo pessoas para a clínica.

E por último, um recado:

Não acredite nesse povo derrotista que povoa as faculdades e espalha que a psicologia é uma profissão que não dá retorno financeiro. O problema não é a profissão. O problema são eles e sua incompetência para transformar um conhecimento tão maravilhoso em algo que a sociedade queira consumir.

Psicologia não é filantropia nem sacerdócio. É uma ciência e também uma profissão. Entender isto é a melhor forma de ajudar a si mesmo e à sociedade ao seu redor.

Um grande abraço, espero que tenha gostado, e se puder deixe seu comentário aí embaixo. Eu leio todos. 🙂

Bruno Soalheiro
Bruno Soalheiro é coach, palestrante, co-fundador da Academia do Psicólogo e autor do livro “Psicólogo Empreendedor, tudo o que você não aprendeu na faculdade”. Desde 2003, quando se graduou em Psicologia, aborreceu-se com o fato de o curso não enfatizar nenhum aspecto mercadológico da profissão, o que fazia com que a maioria dos psicólogos acabasse tendo que abandonar a carreira ainda no início. Um belo dia, em 2014, após 11 anos de experiência no mundo das organizações, trabalhando em multinacionais e como consultor, decidiu fazer algo sobre aquele “incômodo” do passado, e começou um projeto que tem como missão transformar a maneira como a sociedade percebe e consome os serviços de Psicologia no Brasil e no mundo.

123 Comentários

  • Thais Pereira Coelho disse:

    Excelente dica,realmente me deparei com um leque imenso de opções que nem imaginava.Parabéns pelo trabalho !!

    • Bruno Soalheiro Bruno Soalheiro disse:

      Thais, é isso o que me deixa mais feliz. Poder criar perspectivas sobre nossas formas de atuação e gerar insights para vocês. Força, e sucesso!!

      • Ana Claudia Santos de Santana disse:

        Adorei o texto.Estou passando exatamente por isto.Estou formada a um ano e meio e ainda trabalho na área.Fiz alguns trabalhos pontuais e só.Não quis partir de imediato para a pós.Gosto muito da área clínica, já fiz palestra, mas não sei vender meu trabalho

    • Eliane Francisco da Silva disse:

      Excelente material.Inovar,diversificar,eis o segredo e sucesso,para todas as profissões,inclusive a Psicologia.

  • Renata disse:

    Bruno, indique bons cursos para aperfeiçoar escrita e oratória? 🙂

    • Bruno Soalheiro Bruno Soalheiro disse:

      Renata, sobre “escrita”, acompanhe o trabalho do Henrique Carvalho, do Viver de Blog. Para oratória eu recomendo conhecer o trabalho do Reinaldo Polito, é só procurar no Google que você acha. Um abraço!!!

  • Viviane disse:

    Excelente texto…como sempre!!! Abraço Bruno

  • Maíra disse:

    Adorei! Estava precisando ler isso.. sou recém formada e tenho habilidade e produzir palestras e escrever textos mas não sabia como iria fazer disso um trabalho, obrigada pelo texto, ajudou a ampliar minha visao de psicologia.

  • Alcione disse:

    Que esclarecedor!

  • RAFAEL ALVES disse:

    Meus parabéns. Ótimo texto. Estou terminando a graduação, (oitavo semestre, partindo para o nono), e ter lido esse texto me ajudou a ampliar minha visão de mercado na psicologia. Continue nos inspirando, nossa profissão torna-se melhor a cada compartilhamento de conhecimento.

  • Pricyla Sanches disse:

    Excelente texto!!!!
    Ajuda não só a psicólogos… Vejo mtas profissões na mesma situação.

    Mto obrigada!

    Abraços

    Pricyla Sanches

  • Marysa Severino disse:

    Que Texto maravilhoso!! Estou saindo agora da graduação em Psicologia e realmente não sabia em que caminho andar. Este texto foi enriquecedor! Parabéns!!

  • Isabella disse:

    Tudo que precisava ouvir/ler hoje!

  • Iris disse:

    Nossa, Bruno..eu te acompanho há algum tempo, assim como a algumas outras “personalidades” desse meio com que me identifico, mas esse artigo foi simplesmente o melhor! Tanto em clareza, como em profundidade. Muuuuuuuito bom! Parabens!

  • Poliana Saminez disse:

    Excelente dica Bruno. Me ajudou muito

  • Adorei essas dicas! =D
    Estou me graduando como psicólogo, mas já fiz uma formação como coach, e essas dicas me cabem certinho no que eu estou vivendo!

  • Cinthia disse:

    Me formei no mesmo ano…2003! Fiz tudo o que vc falou para não fazer! Aprendi com a experiência ….hoje sou servidora pública! Você está certíssimo. Deveríamos ter essa matéria na faculdade!

  • Luana Moraes disse:

    Muito boa a sua iniciativa e orientação para profissionais que estão começando ou retornando ao mercvado.

  • Thaline disse:

    Nossa, fiquei tranquila com essa leitura. Ainda estou na faculdade e já tenho essa preocupação. Obrigada Bruno, texto maravilhoso!

  • Deivid Barbosa disse:

    Muito bom o texto… Parabéns.

  • Edino Menezes Júlioo Afonso disse:

    Obrigado Bruno pela grande contribuição do mundo da Psicologia como do empreendedorismo, falo apartir de Angola sou formado em Psicologia Clínica pela Universidade Privada de Angola vou Precisar da sua contribuição daqui em diante me mantenha sempre actualizado.

    Saudações
    Edino Menezes Júlio Afonso

  • Danúbia Lacerda disse:

    Gostei muito. sou estudante do 7º período da FADBA presenciei sua palestra aqui na faculdade, mas gostaria de saber como otimizar meus conhecimentos sobre empreendedorismo profissional, desde já

  • Gisele disse:

    Bruno, obrigada pelas dicas valiosas.

  • MARIA JANE MOREIRA disse:

    Você é simplesmente maravilhoso, apeoveitar que estou no início da psicologia para aprender mais sobre o que fazer no futuro. Obrigada.

  • Wallace Vieira disse:

    Estou no último período da faculdade e suas dicas me caíram como uma luva. Excelente artigo, muito esclarecedor. parabéns!

  • Lisy disse:

    Bruno, obrigada pelo artigo, nos faz ver a profissão sob uma outra perspectiva com múltiplas possibilidades.

  • Nicole disse:

    Muito bom! Acredito que essas informações se tornam essenciais pra nós recém formandos. Sempre saímos com a ideia de que devemos logo nos especializar, o que nem sempre é tão fácil. E tenho percebido ao mesmo tempo que estar no mercado de trabalho, seja na área que for mas da psicologia, se torna muito mais favorável. Amei as dicas! Me fez ter outras visões e fortalecer outras.

  • Kedma Teixeira Santos disse:

    Muito esclarecedor. Informações essenciais para psicólogos e principalmente para futuros psicólogos. obrigada!!

  • Roselaine disse:

    Muito Bom, acredito então estar no caminho certo.Me formei em 2014, mas ainda não consegui fazer uma pós.Assim que sai da faculdade investi em palestras e com essa iniciativa consegui meus primeiros pacientes.Possuo um lugar próprio, mas no meu caso foi por conseguir uma ótima oportunidade. Com apenas um ano e meio de clinica nunca me faltaram pacientes, logico que ainda preciso melhorar muito, mas trabalho o suficiente para pagar minha contas.O que mais ouvi foi essas falas derrotistas, resolvi fechar os olhos e ouvidos para isso e não me arrependo.As dicas só fortalecerão aquilo que eu pensava.Obrigada !!!!

  • Jeniffer disse:

    Texto maravilhoso!
    Estou no primeiro período de psicologia e esse texto abriu minha mente de uma forma maravilhosa, além de ser muito claro, objetivo e acima de tudo: COM INFORMAÇÕES VÁLIDAS! É incrível como esse texto serve de base para estimular e orientar o leitor a ter suas próprias ideias. Ao final dele, minha mente já pipocava com diversas oportunidades. Ótimo trabalho você desenvolve. Obrigada pelo conhecimento compartilhado!

  • Juliana Araújo disse:

    Obrigada pelo texto!
    Saímos exatamente assim da faculdade..

  • Larysse Coimbra disse:

    Muito bom ! Ótimas dicas ! Com certeza lembrarei destas no final da minha graduação se eu optar pela clínica independente .
    Valeu! Parabéns! 🙂

  • Aline Ribeiro disse:

    Adorei o texto! Me formei tem quase um ano e felizmente atuo com uma equipe de terapeutas das quais observo que ter contados e diversificar o trabalho realmente é o melhor caminho. Também iniciei a pós dos sonhos, mas infelizmente tranquei por não ter o retorno financeiro para banca-la! Agora depois desse texto, o caminho ficou mais claro! Obrigadão!

  • Ana Clara disse:

    Bruno, adoro a maneira como você escreve! Foi conhecendo a página Empreendedorismo para Psicólogos que entrei em contato com seus textos e vídeos! A partir daí me inscrevi neste seu projeto da Academia e conheci o Pedro e outros excelentes profissionais que me ajudaram a chegar onde estou hoje!
    Por isso, posso dizer que o que você compartilha conosco realmente funciona!
    Só tenho a agradecer! 😀

  • Deborah disse:

    Texto bem esclarecedor, enriquecedor! Grata por compartilhar teus conhecimentos. Como recém formada, ajudou bastante! Minha gratidão pela tua gentis informações; orientações. Um grande abraço e que DEUS te abençoe ricamente hoje e sempre… Bruno Soalheiro.!

  • fabiana amorim disse:

    Porque não isso HÁ 16anos atrás? fiz tudo errado. ..tudo que não era pra ter cio feito e nunca pude me sustentar com a psicologia e poucos dias antes de ler esse texto estava decidida a desistir. Agora é sou com esperança de melhorar meu trabalho e ofertar algo interessante para as pessoas. Grata por suas palavras.

  • Cleide disse:

    Bruno,
    Maravilhoso texto!
    Parece que foi direcionado para o que estou vivenciando. Muitas dúvidas que tinha e que lendo seu texto, esclareceu bastante.
    Desejo muito mais sucesso!!

  • Bárbara disse:

    Estou AMANDO seus artigos!! Fico ansiosa esperando o próximo. Já estou convencida. Quero loogo fazer esse curso!!

  • Vivian Eiras disse:

    Texto fantástico!! Informações que oferecem um salto na caminhada de qualquer profissional da Psicologia. São orientações que oferecem para o psicólogo uma visão renovada e ampliada, estimula tomada de decisões, novas escolhas, resgata a auto estima do profissional promovendo confiança, motivação e principalmente planos estratégicos de ação!! Agradeço pela prestação de serviço público e por reascender em mim a chama, a garra e o amor pela minha profissão. Obrigada!

  • Ederson Job Rodrigues disse:

    Realmente assim que me formei eu via poucas opções de trabalho, o que eu pensava era a clínica, área social ou organizacional. Só que em todas era difícil de se começar, eu tentei as 3 e não consegui resultado em nenhuma, isso me desanimou muito! Quando vi no curso você abrindo essas outras possibilidades que eu nunca havia pensando, eu fiquei muito empolgado e feliz de ver que não preciso ficar no consultório atendendo as pessoas somente, a coisa pode ser muito mais dinâmica.

  • Obrigada Bruno, fiquei super feliz de ler suas dicas pois é exatamente o que eu estou fazendo!!! Casei em setembro e mudei para Campinas, cidade do meu marido. Não conheço ninguém da áreas e não sou do “círculo social” além de o estado de Sp ser totalmente desconhecido pra mim por eu ser do sul. O recurso que eu tenho é a INTERNET!!! estou finalizando meu site, encontrei uma clínica próxima a minha casa com vários profissionais da saúde e subloquei uma sala por período, sou a única Psicóloga da equipe e inicio em janeiro!!! Pra quem chegou aqui e estava se sentindo sufocada e perdida por estar “só” estou mega empolgada com tudo que consegui sem precisar depender de conhecer pessoas, a cidade etc, tudo através da internet!!!

  • Juliana Maruca disse:

    Muito bom Bruno, acabei de ser aprovada em meu TCC, e tenho várias ideias, mas não sei como ou por onde começar!!! Me interessei pelo seu jeito de fazer as coisas acontecerem!!!
    Grata pelas informações!!!
    Juliana Maruca

  • Elton Ribeiro disse:

    Bruno.
    Parabéns fiquei encantado com seu texto .
    Estou No 5ª pederido do curso ,e estou começando fazer ARTIGOS acho de suma importância produzir artigos.
    Como também faço palestras em faculdades,e espero continuar nessa jornada.
    e depois que vi esse seu texto que fiquei mais interessado ainda prosseguir como estou indo e seguir seus conceitos.
    Parabéns,sucesso sempre!

  • Rylson disse:

    Muito pertinente sua abordagem, me identifico e faço praticamente tudo que você menciona. Só indicaria, para explorar mais sobre os atendimentos de clientes em potencial e como o psicólogo pode ajudar e se organizar para atender as pessoas que só podem pagar uma taxa social. Como o momento atual do País é de crise, muitas pessoas tem perdido o emprego, mais querem uma orientação com psicoterapia ou palestra que possa norteá-las. Grande Abraço e sucesso!!!

  • Bianca Duarte disse:

    Bruno, parabéns pelo trabalho com excelência! Sua dicas trouxeram novos insights perpetuando assim o meu conhecimento. Você é top! Sucesso.

  • Terezinha Rodrigues de Carvalho disse:

    Antes de me aposentar como Enfermeira, tinha feito Psicologia e fiz tudo exatamente como vc descreveu, quem me conhece sabe disso, por isso consegui ter tanto sucesso na profissão de Psicólogo como foi na Enfermagem. Só que tento transmitir isso para ajudar a outros colegas recém formados ou que acabam deixando de ser Psicólogos, por falta de pacientes, mas eles acham que eu é que “dou sorte”. Sei que não é questão de sorte e estratégia de trabalho. Gostaria de ajudar a outros colegas Psicólogos a entender isso. Parabéns vc foi o primeiro que descobriu o “segredo e sorte ” do meu sucesso profissional.

  • Elisangela C Faiotto disse:

    Puxa, quantas dicas legais. Estou indo pro quinto ano e ninguém fala sobre essas coisas na faculdade. Dicas preciosas. Valeu mesmo!

  • Ariane Carvalho disse:

    Parabéns! Muito bom! Tudo o que eu precisava saber.

  • Josely da Silva Quaresma disse:

    Olá Bruno. Achei bem interessante seu texto, apresentando dicas sobre o mercado para nossa profissão. Realmente na faculdade não se desenvolve uma compreensão satisfatória sobre essa questão. Obrigado pela orientação significativa que você nos deu aqui. Um grande abraço.

  • Veronica Oliveira disse:

    Muito bom. Esse texto me animou bastante! Obrigado Bruno.

  • Viviane Ferreira disse:

    Texto maravilhoso. Estou na reta final da graduação, com certeza levarei isso comigo. Muito obrigada!!!!!

  • Jacira Balardin Mussatto disse:

    Magnífico texto Bruno Soalheiro! Completei minha graduação em 2016 e estou abrindo um consultório, várias dúvidas surgindo, sem contar que estava indecisa se fazia ou não uma pós graduação. Curti uma página do face e me deparei com essa postagem. Obrigada pelas informações. Sucesso sempre para você! Abraço!

  • Júlio Seza Lopes Viana disse:

    Olá, Bruno! Parabéns! Gostei bastante desse esclarecimento. Sou graduante do nono semestre em psicologia e estava sem norte. Realmente a faculdade não ensina de tudo, e saímos da faculdade com foco clínico e queremos atuar sem saber por onde começar… Pretendo fazer meu papel como clínico e essa sua postagem me ajudou demais! Pensava como iria ganhar dinheiro com a ciência da psicologia, já que em toda a graduação ouvia os colegas dizer que a psicologia não dava dinheiro e que não íamos chegar em lugar nenhum … E hoje você ampliou bastante meu olhar sobre a atuação do psicológo na clínica como em outras área. Muito obrigado! A partir de agora irei dar um ponta pé na minha história com a psicologia.

  • Cleber Isecke disse:

    Boa tarde , acabo de me graduar em Psicologia e não tenho ideia do que e como fazer … se irei atender ou seguir como psicólogo organizacional .

  • Mayara Luana Henrique disse:

    Muito bom, Bruno!
    Ainda tenho uma longa caminhada até a graduação, mas esta leitura foi edificante desde já.
    Parabéns!

  • Janielle disse:

    Eu sempre pensei nisso, e achava que estava me precipitando, acredito que possamos fazer isso ainda na graduação, é meu objetivo… se for apropriado claro, na própria faculdade… e de la pra o mundo…

  • Rodrigo Arcanjo disse:

    nossa dicas otimas bom estou no 7° periodo ainda mais ja vou anotar tudo. Gostaria se possivel de algumas dicas para alunos ainda na graduaçao dicas de livros para ler que ajude na questao de melhor se apresentar e de como falar nas palestras. Mais so pelo que aprendi aqui ja foi de grande ajuda.

  • Doroti Cardoso de Lima Ferrari disse:

    Bruno, excelente as suas dicas! Mas, como faço para produzir uma palestra e vende las? Sou recém formada e sempre tive vontade de ser palestrante.

  • Rachel disse:

    Olá Bruno… Quando estará no Rio para palestras sobre o assunto? Obrigada pelas dicas

  • Ivana Zimmermann disse:

    Adorei seu artigo Bruno!!! Estou me formando neste semestre e confesso que sinto uma dorzinha na barriga quando penso na captaçao de clientes para minha futura clínica. Você abriu minha mente. Muito obrigada!!!

  • Suélen disse:

    Otimo texto! Esclarecedor e norteador!

  • Elaine AP. B. Greatti disse:

    Meu nome é Elaine, são muitas as expectativas, estou no 6 termo da graduação de psicologia e entrei tarde na faculdade, fiquei 18 anos sem estudar e vou terminar a graduação com 41 anos tenho medo dê não conseguir nada na área por conta da idade. Tenho muitas dúvidas pra que lado vou.

  • Alex Bruno disse:

    Bruno ,
    Excelente sua explanação sobre os três maiores erros.
    Sou estudante de Psicologia e pensando bem além do que foi apresentado você tem toda razão e ainda posso sugerir que faça outra postagem até brincando com os 03 erros mais comuns que levam e desmotivam muitos profissionais à abadonar essa linda profissão.

    Sou formado em Marketing e faço de suas palavras as minhas. Todo profissional seja de qualquer esfera deve sim investir e pensar qual o método deve criar ou aprender para de fato atrair seus eternos e fiéis clientes.

    Tenho um site, fique a vontade pois no momento não estou escrevendo e nem mexendo nele. Não tenho revisor e ainda não uso no intuito profissional, mais tenho sim vontade à longo prazo de trabalhar com site , lançar um livro pois já estou escrevendo e vários outros projetos. Meu foco quanto tiver formado é trabalhar com Mídia fazendo palestra de diversos assuntos no qual acredito que seja de interesse as pessoas.

    Adorei seu trabalho , já recebo e-mail da Academia do psicólogo (ficarei mais atento para acompanhar e de alguma forma aprender e repassar conhecimento).

    Atenciosamente,
    Alex Bruno.

  • Leocrícia disse:

    Bruno, seu texto ficou redondo!
    Chegou como um holofote no qual mostra uma série de caminhos para serem percorridos. Realmente a psicologia é muito maior do que aprendemos nos 5 anos de academia.

    Muito obrigada!

  • Maíra Rangel de Medina disse:

    Sábias palavras …
    Eu me formei em 2000 bati muito a cabeça. Fiz duas pós graduação … Difícil comecar mesmo …
    Hoje estou focada! Trabalho como em um grupo de apoio a adoção e meus pacientes são a maioria de casais com famílias recém formadas!
    Mas NÃO possi deixar de falar que o espaço da formação em psicanálise (para quem escolhet essa linha ) . É um espaço rico de construções, estudo e parcerias …
    Realmente deveríamos ter essa abertura na faculdade.
    Att
    Maíra Rangel.

  • Cristiane Souza disse:

    Muito valiosa suas dicas, ajudou bastante. Parabens

  • Nayara Mantovani Lacerda disse:

    Boa Tarde Bruno,
    Adorei o texto e conheci através dee coisas que não imaginava que seria possível. Gostaria de saber se você dá consultoria ou supervisão para nós, que está em busca de algo novo na profissão.
    Obrigada pelas belas dicas !

    • Bruno Soalheiro Bruno Soalheiro disse:

      Nayara, tudo bem? Olha eu não faço consultoria individual, mas acompanhe aqui no site da Academia outros textos que podem te ajudar neste sentido. Minha página no Facebook também pode te ajudar com dicas e sugestões. Um grande abraço e obrigado por ler!!!

  • Ingrid Oliveira disse:

    Bruno muito obrigada!
    Precisava ler isso hoje
    Vou seguir suas dicas e focar na minha carreira.
    Um grande abraço com muito carinho.
    Parabéns pelo seu trabalho e por ser quem é.
    Bj

  • Aline lopes disse:

    Parabéns pelo esclarecimento!
    Que orgulho poder ler e gradativamente ir ampliando as idéias.

  • Mara Queiroz disse:

    Me formo esse ano, e suas dicas me abriram os olhos em diversos aspectos, gostaria de lhe pedir indicações à respeito de palestras e workshops, como posso proceder. Obrigada, abçs!

    • Bruno Soalheiro Bruno Soalheiro disse:

      Mara, tudo bem? Olha eu não trabalho com consultoria individual, mas você encontra muita coisa aqui na Academia do Psicólogo sobre estes temas. Dê uma olhada em nosso site, há muito conteúdo gratuito. Ou então deixe aqui mesmo sua dúvida que, se for simples, tento dar uma resposta. Obrigado por comentar!!!

  • Ricardo Prado Lima disse:

    Olá Bruno…sou estudante ainda, me formo este ano de 2017. Muito obrigado pela sua iniciativa, me ajudou muito a procurar mais informação e ter ideias de como lidar com a formação e o mercado de trabalho.
    Abraço.

  • Silvia disse:

    Muito bom Bruno! Obrigada pelas dicas 😉

  • Claudia Reis disse:

    Excelente artigo Bruno, esclarecedor! Me formei em 2010, também sai do faculdade sem grandes perspectivas. Apesar de sempre ouvir de todo mundo que escrevo bem, que falo muito bem… Não sabia bem o que fazer com essas habilidades em psicologia. Mas seu material me abriu uma luz no fim do túnel, não atuo na área ainda. Mas estou vislumbrando novos horizontes. Muito obrigada pelo texto!

  • Tânia Franco disse:

    Simples, direto, objetivo. Gostei bastante e, realmente, ajuda a pensar. Lendo percebi que pouco, ou quase nada, muda em relação à minha primeira graduação. De fato, a ânsia por resultados imediatos, ou o apego ao discurso de alguns (nem sempre bons) com os quais convivemos na faculdade, podem obscurecer ideias produtivas do ponto de vista do nosso desenvolvimento neste momento desvirginal. Obrigada por partilhar conhecimento. Sucesso em 2017.

  • Nelci Lima Rodrigues disse:

    Bom dia Bruno, estou me formando este ano, em julho. É este teu texto foi um divisor de águas prá mim. Obrigada Nelci Lima

  • Rhayana Dias disse:

    Que artigo maravilhoso Bruno! Parabéns e obrigada!
    Me formo no final de 2017 e tenho certeza que cometeria todos estes erros se não tivesse lido a este incrível artigo. Antes de terminar a graduação eu já me sinto insegura e temerosa em atuar no mercado, pois realmente, na faculdade pouco se fala sobre isso e somos jogados à ele totalmente leigos e despreparados. Espero poder ler outros artigos seus inspiradores como este e mais uma vez obrigada e muito sucesso à você! Grande abraço.

  • Victor Eugênio disse:

    Bruno, excelente artigo. Gostaria de indicação de materiais (Livros e blogs) para desenvolver mais sobre Networking nos negócios. Há algumas preferências que você possui?
    Grande abraço!

  • Magda Cadamuro disse:

    Que bom poder contar com sua experiência e com sua boa vontade em compartilhar seus conhecimentos, raras pessoas o fazem. É mesmo muito complicado para qualquer graduando, e em qualquer fase da vida, iniciar uma carreira. Poucos mestres fazem orientações fora do curriculo de ensino. Feliz 2017, sucesso em sua jornada, e muito obrigada.

  • Anderson Bartko disse:

    A questão de fazer pós ou não vai depender de alguns fatores, dentre eles, oportunidades que se tem logo quando termina a graduação, pode ser que sejam maiores nesse momento; e experiência adquirida durante a graduação, particularmente conheço muitos profissionais que se dedicaram a trabalhar ou estagiar em locais onde a experiência foi enorme. Portanto descordo parcialmente do primeiro item. Parabéns pelo texto!

  • Raphaela disse:

    Excelentes dicas! Parabéns e obrigada por compartilhar conosco! Com essa leitura surgiram várias ideias, enchergei várias possibilidades! Gratidão!

  • Gina Beta disse:

    A leitura me foi muito esclarecedora. Ingressarei no curso de psicologia esse ano. Confesso, tinha muitas dúvidas.

  • Olá . Achei muito interessante esse artigo. Eu estou pesquisando moderadamente e cada vez que vejo um artigo como esse é que me apaixono cada vez mais pelo mundo da psicologia. Vou adquirir seu livro para lê-lo e compartilhar com meus colegas de faculdade. Estou cursando o primeiro período de psicologia e sei que tenho muito a aprender. E minha palavra é gratidão: pela vida,pelo mundo, pela minha família e amigos e por ter essa oportunidade de ter lido esse artigo e estar finalmente cursando o curso da minha vida.Meu muito obrigada!

  • Karoline disse:

    Realmente, se você enxergar a psicologia como simplesmente psicoterapia, dificilmente conquistará sucesso, ao meu ver.
    Ainda mais no começo, sem referências, sem ‘fama’, sem reputação nem clientela, deve ser muito difícil sobreviver!

    Outro ponto que acho importante mencionar, é a falta desse amparo durante a vivência acadêmica, por parte dos professores e da própria instituição, de mostrar aos alunos outras opções, outras possibilidades, dar um suporte para que não surtemos antes mesmo de nos formar!

    Eu sou estudante de psicologia, e percebo um sofrimento por parte de todos os alunos quanto às incertezas do que virá após nos formarmos!
    Engenheiros saem da faculdade sabendo exatamente o que vão fazer, onde podem atuar, e geralmente até saem empregados já!
    Nós, da psicologia, vivemos incertezas durante todo o curso, a começar com o fato de que não existe uma PSICOLOGIA, mas sim várias PSICOLOGIAS.
    É o primeiro choque, que já confunde, te deixa confuso e até temeroso sobre o que escolher!
    Há ainda uma falta de oportunidades para trabalharmos na área durante o curso. Estagiários de outros cursos, com remunerações satisfatórias, enquanto os estágios de psicologia pagam uma miséria vergonhosa que torna quase impossível para um trabalhador trocar seu sustento em uma empresa, pelo estágio.

    Os professores e a universidade também não nos preparam para o que iremos, de fato, encontrar depois dos muros da instituição!
    Aprendemos teorias e mais teorias, mas ninguém de fato nos mostra como atuar em casos reais, com pessoas de carne e osso, na nossa frente!

    Vivemos essa angústia constante, de não saber o que será de nós quando as aulas acabarem e o canudo estiver na mão!
    Qual especialização fazer?
    Qual linha teórica seguir?
    Em qual acreditar mais???
    Qual a melhor abordagem para mim?

    É uma ciência, mas não aprendemos a lidar com as diversas possibilidades que ela nos coloca para atuação!

  • Adilson disse:

    Adorei o texto e gostaria de saber como ter o livro…

  • Lorena Costa disse:

    Muito obrigada! Esse artigo lavou minha alma e me trouxe maior discernimento para iniciar a trilha dessa profissão linda que tanto desejei. Muito bom!

  • Adriana Carla Land de Oliveira disse:

    Pouca alegria e muito medo! Exatamente o que estou sentindo e prestes a cometer os 3 erros.
    Obrigada pela orientação Bruno!!
    Adriana Carla Land de Oliveira
    Recém graduada em Psicologia

  • Maria Alexandra disse:

    Parabéns, eu amei seu artigo. Me fez repessar o quanto necessito diversificar meu trabalho. Tirou um peso por ainda nao estar cursando uma pós. Obrigada

  • Nayane disse:

    Bruno, meus parabéns pelo excelente artigo.

  • Kelvia Nunes disse:

    Bruno suas dicas ajudaram bastante, realmente esse é um momento que causa muito medo, insegurança e ficamos praticamente perdidos, sem orientaçōes!
    Recém graduada em Psicologia
    Kelvia Nunes

  • Maura Ribeiro disse:

    Gostei muito das orientações.
    Obrigada!!

  • EDNA APARECIDA PEREIRA SOUZA disse:

    Parabéns Bruno, estou quase me formando e penso regularmente em tudo isso que falaste, de sair da faculdade com tantas dificuldades e incertezas que da um desanimo, mas com suas dicas fiquei mais motivada, pois quero fazer diferente, o que eu mais quero é chegar até aqueles que não tem como chegar até nós psicólogos por vários motivos, por isso, quero ir ao encontro dos que precisam, de alguma forma, e suas dicas foram maravilhosas .Obrigado parabéns

  • Natalia dias cezario da silva disse:

    Adorei o texto, me identifiquei bastante. Pois acabei de me formar em psicologia e estou com medo do começo. Ler o texto me fez refletir bastante sobre esse começo. Bom trabalho!

  • Diogo disse:

    Boa Bruno, estou passando por esse dilema agora, terminei a graduação no fim do ano de 2016 e agora me deparo com essas questões. Ainda pesa contra o fato de residir em uma cidade muito pequena no interior, mas a partir do que li buscarei diversificar meus serviços coisa que já pensava fazer mais pra frente, mas por que não começar agora? Gratidão pelo artigo e sucesso no seu caminhar. Abraço!

  • Fabiana disse:

    Muito legal seu texto. Sou recém formada, ainda nem teve a colação rsrs. Tenho um imóvel (casa) no qual gostaria de abrir um consultório, mas como no seu exemplo as pessoas que seriam minhas sócias jogaram muita areia. Queriam coisas chiques e tal. Por conta disso pretendo fazer tudo sozinha. Tenho algum conhecimento, pois sou formada também em Produção Publicitária, no qual se aprende uma coisinha aqui outra ali de MKT. Vamos ver o que acontece. Abraço, ótimo texto!

  • Diana Freitas disse:

    Que excelente informação e verdadeiro acolhimento! Acabei de me formar, e ao longo dos 10 semestres, tive apenas um professor que se ateve em passar essa visão profissional em sala para os alunos. Parabéns por seu trabalho! Vou seguir as orientações, obrigada.

  • Vladinéia disse:

    Parabéns Bruno, excelente texto!

  • Clediane disse:

    Adorei suas dicas.
    Quero fazer Psicologia
    E com essas dicas ficou muito melhor.
    Obrigado.

  • Jacilma Assunção disse:

    Nossa que comentários foram esses?
    Excelentes me ajudou muito, super esclarecedor.
    Estou no 9 período de psicologia e pretendo ir para área organizacional, porém minhas condições financeiras são “precárias”, a maioria dos cursos na área são um pouco elevados para mim no quesito valores.
    Gostaria de algumas digas se possível!
    Desde já agradeço.

  • Camila disse:

    Bruno, os dois links que colocou ao longo do texto estão fora do ar, poderia consertar isso pra gente? A propósito amei o texto, acabei de lê-lo pela segunda vez, acabei de formar em psicologia e estou levando as sugestões como uma espécie de mantra de orientação. Obrigada!

  • Florense disse:

    Bruno boas dicas, realmente a graduação não nos prepara para o mercado de trabalho. Ai vem o final do curso, o que fazer? formada , mas sem cliente…Obrigada

  • Lorena Carvalho disse:

    Adorei as dicas, foram mto esclarecedoras realmente. Eu me encontro exatamente nessa situação, meu diploma e, consequentemente CRP, só saem em março, e nesse pouco tempo parada(2 meses) já me sinto inútil em não poder atuar na área. As dicas além de me darem um norte, me ajudaram a confirmar minhas expectativas da psicologia enquanto profissão, uma vez que ainda não possuo renda tão pouco um tio rico que possa me ajudar a investir tão cedo em minha carreira haushaus. Obrigada pelas dicas e pela orientação, seria ótimo se na faculdade pudessem nos ajudar dessa forma ao menos passando as informações que você nos dispôs.

  • Rosemeire Schmidt disse:

    Muito válidas suas colocações, esclareceu muito.
    Eu era uma destas pessoas que pensava em concluir a graduação e iniciar uma pós graduação em seguida, mas resolvi adiar 1 ano p/ este início. Ao ler sua matéria vejo que existem muitas outras coisas a serem trabalhadas antes.
    Muito obrigada.

  • Diana hage disse:

    Gostei do texto estou começando agora com um blog ,Fan Page e instagram .formei~me no meio do ano passado , primeiro dei um tempo para viajar, coisa que adoro mas que durante a graduação abri mão muitas vezes.Contratei uma empresa de orientação de carreira e para além das redes sociais , entrei em contato com uma Clínica onde farei minha terapia com um dos profissionais e a minha supervisão com um outro. As salas são alugadas por hora o que é bom já que não terei despesas com secretária, luz etc.
    Meu blog foi feito para as pessoas que não têm intimidade com a Psicologia, escrevo textos curtos com uma linguagem acessível , incluindo e naturalizando o trabalho do Psicólogo .Adoraria que desse sua opinião e se possível alguma dica . O Blog http://www.psicologadianahage.com.br a FanPage @psicologadianahage.
    Obrigada Bruno, parabéns pelo lindo trabalho sua ajuda é muito importante para todos nós

  • Sheyla disse:

    Adorei, muito obrigado Bruno! Seu texto auxílio para uma melhor direção e foco! Infelizmente durante a graduação não tive esse modelo de orientação. Amei a sua escrita, sua forma de passar a mensagem e de demonstrar entusiasmo!

  • Jair Caetano Pereira disse:

    Bruno, excelente seu texto. Claro e Objetivo. Estou no último ano do curso de Psicologia, vou sim colocar em prática o que vc abordou neste seu artigo. Contudo o dificil é começar, seria muito bom que alguém da área ajudasse – seria tipo um “empurrão”, até vc levantar voou, e seguir em frente. Como faço um site, website, etc? Tenho outras formações Teologia e Filosofia. Como atuação na área de Teologia, sou pastor, dou treinamento e palestra tenho alguns artigos e dois livros publicado nesta área. Quero colocar meus conhecimentos da Psicologia em prática, e não somente ter um diploma na parede. Como posso fazer parte da Academia do Psicologo? Como conseguir treinamento nesta área? Academia pode nos ajudar?

    • Bruno Soalheiro Bruno Soalheiro disse:

      Jair, obrigado, meu caro. Mas as perguntas que você fez não tem respostas simples. rsrs Na verdade eu tenho todo um curso organizado para isso, se você se interessar, dê uma olhada depois aqui:http://academiadopsicologo.com.br/epp5/

      Veja que o que eu apresento parece ser exatamente o que você está buscando. Mas leia todo o material para você entender melhor!

  • Lucilene disse:

    Adorei suas dicas! Gostaria de adquirir seu livro. Teria o site para a compra?
    Obrigada, abraço.
    Att,
    Lucilene

  • Valéria Souza disse:

    Nossa! Você é otimo, te agradeço muito.
    Nos ambientes em que convivo, diga-se de passagem, com muitos colegas de profissão acabo escutando que sou uma sonhadora!
    Há algum tempo que acompanho teu trabalho e que bom que não deixo de produzir pelo que meus colegas verbalizam a todo instante.
    Te desejo ainda mais sucesso, e tenho uma imensa vontade de assistir uma palestra tua na minha querida Bahia. Forte abraço, façamos a diferença; Psicologia é sinônimo de possibilidades.

  • Adriana Raquel Castilho disse:

    Olá! Estou cursando o 10° semestre do curso de Psicologia e venho lhe dizer que este texto foi muito construtivo e acolhedor. Obrigada!!!

Deixe um comentário